sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Plano Diretor = Desenvolvimento de Uruguaiana/RS

    Na noite de quarta-feira (20) por proposta minha a Mesa Diretoria, a Câmara Municipal e o Fórum Permanente para o Desenvolvimento de Uruguaiana encaminharam ao prefeito Felice ofício solicitando a imediata instalação de uma comissão para retomar os trabalhos de elaboração do anteprojeto do novo Plano Diretor do município. O encaminhamento da solicitação foi proposto e aprovado pelos participantes da audiência pública, para debater questões relativas ao tema.


     A audiência pública, presidida por mim, contou com a presença de vereadores, representantes de diversas entidades sociais e profissionais como Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Sindicato dos Contabilistas, Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Uruguaiana, Movimento Nacional pela Moradia, Associações de Moradores de Bairros, Câmara de Dirigentes Logistas (CDL), além de moradores.


    O arquiteto Carlos Prudêncio, especialista em questões urbanísticas, alertou para a complexidade do trabalho de elaboração do projeto. “É uma tarefa complexa e demorada, requerendo a realização de várias audiências públicas para traçar as novas diretrizes do ordenamento urbano, rural e ambiental de Uruguaiana".

    O prazo para a aprovação do novo Plano Diretor se esgotará em outubro de 2011 e o município pode ser penalizado pelo Governo Federal com a suspensão de repasses de verbas federais para programas sociais de moradia e saneamento caso o projeto não seja aprovado até a data limite. Vale resgistrar ainda, que o Plano Diretor tem relação a tudo aquilo que envolve a sociedade, ou seja, Infra-Estrutura, as Politicas Sociais (Cultura, Educação, Saúde, Segurança Pública etc), e o Desenvolvimento Econômico como o Setor Primário, Transporte, Comércio...em resumo é o desenvolvimento da nossa cidade em debate urgente!

2 comentários:

  1. Dá-lhe Ronnie....
    Estamos juntos nesta.
    Abraços Ricardo

    ResponderExcluir
  2. Manda bala, alguém tem que fazer as coisas nesta cidade. Se deixar para os que aí estão... não sai do papel. Alías, nem para o papel vai!

    ResponderExcluir